Conecte-se conosco

FINAL – Guarani 4 x 0 Oeste

‘É CAMPEÃO!’ O grito engasgado na garganta há 37 anos finalmente saiu. Depois de derrotas em oito finais seguidas, o Guarani exterminou esse tabu em grande estilo. Com direito a estádio cheio e uma despedida toda especial ao ídolo Fumagalli, o Bugre goleou o Oeste por 4 a 0, na noite deste sábado (7), no Brinco de Ouro, e coroou a campanha do acesso na Série A2 do Campeonato Paulista com o título do torneio. Bruno Mendes, Bruno Nazário, Rondinelly e Caíque marcaram os gols da decisão.

Além da primeira conquista desde a Taça de Prata de 1981, o Alviverde também garante uma vaga na Copa do Brasil do ano que vem, torneio que o clube não disputa desde 2014, e ainda fatura os R$ 280 mil de premiação destinados ao primeiro colocado. Com o primeiro objetivo da temporada mais do que cumprido, a equipe vai cheia de moral para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, que começa na sexta-feira, às 19h15, contra o Fortaleza, fora de casa.

PRIMEIRO TEMPO
Assim como na quarta-feira, a torcida bugrina fez outra linda festa. Antes do jogo, na recepção calorosa à delegação e com a presença do maior público de todo o campeonato. Quando a bola rolou, no entanto, os dois times não acompanharam a atmosfera de decisão das arquibancadas no início. Com o acesso já garantido, Guarani e Oeste não tiveram a intensidade que uma final pede nos primeiros minutos e o jogo ficou lento.

O Bugre pouco tomava a iniciativa e os visitantes, tendo mais posse de bola, impediam qualquer tentativa de pressão. Mas bastou o melhor time do torneio colocar a redonda no chão para abrir o placar, aos 17′. Na primeira jogada bem trabalhada, Erik acionou Marcílio, o lateral-esquerdo foi ao fundo e cruzou para Bruno Mendes que, oportunista, tocou de letra para fazer um golaço e aumentar ainda mais a festa alviverde no Brinco.

Apesar do gol, os donos da casa não conseguiram ter o controle da partida. O número de erros era grande a bola pouco ficava no ataque. Erik e Bruno Mendes tentaram mudar esse cenário em bonita tabela aos 28′, com o chute do camisa 8 defendido pelo goleiro William Menezes.

Depois dos 30′, a partida mudou completamente. A defesa bugrina, que praticamente ainda não havia sido ameaçada, começou a ter trabalho porque o Oeste acordou. A primeira chance foi aos 33′. Pedrinho passou pelos marcadores e a sobra ficou com Raphael Luz, que parou na defesa de Bruno Brígido. O goleiro bugrino evitou o empate em mais duas oportunidades. Primeiro ao sair de forma corajosa nos pés de Raphael Luz e, depois, ao espalmar finalização de fora da área de Marcinho.

Além da competência de seu goleiro, o Guarani ainda contou com a sorte para escapar de levar o empate antes do intervalo. Aos 43′, Pedrinho foi driblando todo mundo e a bola sobrou para Bruno Lopes. Livre na grande área, o camisa 9 do Oeste bateu cruzado e a bola passou à esquerda da meta, com muito perigo.

SEGUNDO TEMPO
O Guarani voltou para o segundo tempo cometendo os mesmos erros. Sem conseguir segurar a bola no campo de ataque, aceitou a pressão do Oeste, que continuava superior. Aos 7′, após troca de passes que envolveu a defesa adversária, Bruno Lopes ajeitou e Raphael Luz chutou torto, desperdiçando ótima oportunidade de igualar o placar.

Aí, entrou em ação aquele velho ditado de que ‘quem não faz, toma’. Depois de aguentar tanta pressão, o Bugre foi letal no primeiro contra-ataque que encaixou, aos 19′. Após lançamento de Lenon, Bruno Nazário dominou e ficou no mano com Leandro Amaro. Na velocidade, passou fácil pelo zagueiro e bateu firme no canto esquerdo para fazer 2 a 0 e levar o torcedor ao delírio.

O Oeste sentiu o segundo gol. No desespero para tentar uma reação, cedeu espaços na defesa e o avassalador ataque do Guarani agradeceu. A noite era de golaços e Rondinelly não quis deixar por menos, aos 30′. Após disparar em velocidade, o meia viu a saída do goleiro e, com extrema categoria, só deu uma cavadinha e viu a bola morrer no fundo da rede: 3 a 0.

Foi o que faltava para o torcedor do Guarani escancarar de vez a emoção. Logo após o terceiro gol, os primeiros gritos de ´É campeão’ começaram. Depois, os pedidos incessantes foram pela entrada do ídolo maior dessa nação. Aos 36′, Umberto Louzer chamou e chegou o momento. Fumagalli foi a campo para sua 307º e última partida com a camisa do clube e, em seguida, recebeu de Baraka a tarja de capitão para que tivesse o prazer de, na despedida, poder realizar o sonho de erguer o troféu de campeão.

O jogo já estava liquidado, a torcida em festa e a comemoração do título tomava conta das arquibancadas. Mas ainda cabia um último ingrediente para que esse adeus à Série A2 se concretizasse: a vitória se transformar em goleada. Pois Caíque resolveu o problema. Aos 44′, o atacante recebeu cruzamento de Lenon e cabeceou no canto para fazer o quarto. Fim de papo, Guarani, merecidamente, campeão da Série A2.

FICHA DO JOGO

GUARANI 4 x 0 OESTE


Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Fernando Lombardi e Marcílio; Baraka e Ricardinho; Bruno Nazário (Caíque, 39’/2º), Rondinelly (Denner, 32’/2º) e Erik; Bruno Mendes (Fumagalli, 36’/2º). Técnico: Umberto Louzer.


William Menezes; William Cordeiro, Betinho, Leandro Amaro (Daniel Farias, 15’/2º) e Conrado; Lídio, Wallace Bonilha (Nicolas Careca, 25’/2º) e Marcinho; Raphael Luz (Marion, 32’/2º), Bruno Lopes e Pedrinho. Técnico: Roberto Cavalo.

Gols: Bruno Mendes, aos 17 minutos do primeiro tempo; Bruno Nazário, aos 19, Rondinelly, aos 30 e Caíque, aos 44 minutos do segundo tempo.
Público: 17.071 pessoas.
Renda: R$ 237.491,00.
Local: Estádio Brinco de Ouro.
Data e horário: Sábado, 7 de abril, às 19h.
Juiz: Flávio Rodrigues de Souza.
Cartões amarelos: Erik (Guarani); Raphael Luz (Oeste)

Comentários

comentários