Conecte-se conosco

16ª RODADA – Guarani 2 x 3 Figueirense

Depois de sete jogos, o Guarani voltou a sentir na noite desta terça-feira o amargo sabor da derrota. Num jogo em que vacilou demais, o Bugre até conseguiu buscar o empate por duas vezes, mas as falhas custaram caro e a equipe acabou perdendo por 3 a 2 para o Figueirense, no Estádio Brinco de Ouro, em partida válida pela 16ª rodada da Série B do Brasileiro. Trevisan, Ferrareis e Henan marcaram para os visitantes, enquanto Rafael Longuine e Matheus Oliveira descontaram para o Alviverde.

Além de desperdiçar a oportunidade de conseguir a terceira vitória consecutiva, a equipe também não consegue colar no G4. Com 23 pontos, o Guarani foi ultrapassado pelo próprio Figueirense e está na oitava posição, a três pontos do Avaí, quarto colocado. Com nova semana cheia para treinamentos, o time volta a campo na terça-feira da semana que vem, às 20h30, contra o Paysandu, fora de casa.

PRIMEIRO TEMPO
O Guarani foi a campo com a mesma escalação titular pela terceira vez consecutiva, mas, diferentemente dos jogos anteriores, quando abriu o placar rápido, dessa vez acabou surpreendido logo aos 7 minutos. Na primeira boa descida do Figueirense, Trevisan subiu mais do que a defesa adversária na cobrança de escanteio para fazer 1 a 0.

O gol momentaneamente abalou os donos da casa, que, apesar da tentativa de propor jogo, apresentavam muitas dificuldades para trabalhar a bola. Com o rival fechado, o Bugre buscou amplitude pelos lados do campo nas descidas de Kevin e Pará, que acabaram se tornando as peças de escape. Chegar ao gol dos catarinenses era difícil, mas o Alviverde deixou tudo igual, aos 21′, graças à insistência. Após o cruzamento de Pará, Bruno Mendes ajeitou, Willian Oliveira tentou, ms foi bloqueado. Na sobra, Rafael Longuine chegou enchendo o pé e estufou a rede de Denis.

A partida esquentou de vez após o empate. Inflamado pela torcida, o Guarani se animou e tentou empurrar o Figueirense lá atrás. O time catarinense, no entanto, não caiu nessa armadilha e continuou fazendo seu jogo. Sempre achando espaços entre as linhas adversárias, o Furacão do Estreito voltou a ficar na frente aos 29′ em linda triangulação. Renan Mota começou a jogada, Henan deixou de calcanhar e Ferrareis finalizou de fora da área para vencer Oliveira, que não conseguiu segurar.

Mais uma vez, o Bugre sentiu o golpe imediato após o gol, se desorganizou e escapou por muito pouco de tomar o terceiro aos 34′. Renan Mota puxou contra-ataque e lançou para velocidade de Henan. O atacante disparou, deu uma cavadinha na saída de Oliveira, mas a bola caprichosamente beijou a trave esquerda.

Depois do susto, o Alviverde conseguiu se assentar um pouco em campo e voltou à carga para buscar novamente o empate. O jogo seguia em alta rotação e não permitia vacilos. Ricardinho tentou de fora da área, aos 36′, e assustou. Rafael Longuine tentou repetir o lance do primeiro gol aos 40′, mas errou o alvo. Dois minutos depois, a individualidade fez a diferença. Kevin descolou passe primoroso no meio da defesa adversária e encontrou Matheus Oliveira livre para bater cruzado e deixar tudo igual outra vez.

SEGUNDO TEMPO
O Guarani voltou do intervalo sem mudanças, mas disposto a ditar o ritmo do duelo. No ataque, a equipe ocupou o campo rival e tentou pressionar. O ímpeto inicial, porém, logo acabou porque o Figueirense, sempre perigoso, começou a sair lá de trás.

Percebendo o quanto estava fácil entrar pelo meio da defesa bugrina, o time catarinense forçou e retomou a vantagem aos 12′. No passe de Renan Mota, Edson Silva e Éverton Alemão falharam, deixando Henan na boa para aproveitar e tocar na saída de Oliveira: 3 a 2.

Outra vez era preciso ter que se desdobrar para ir em busca do resultado, mas o Bugre não teve a mesma calma do primeiro tempo. Não faltava iniciativa, mas claramente a afobação tomou conta da equipe, que abusou dos cruzamentos, errou lances fáceis e se precipitou em praticamente todas as tomadas de decisões, o que facilitou a vida da defesa adversária. Por outro lado, o Figueirense só esperava uma oportunidade de contra-ataque.

Sem outra alternativa, Umberto Louzer abriu de vez o time com as entradas do meia Guilherme e do atacante Marcão. Os últimos minutos foram marcados por total domínio territorial dos donos da casa e uma tentativa de blitz. A falta de tranquilidade e organização para atacar, no entanto, impediu uma nova reação. Apesar da esmagadora posse de bola no segundo tempo, o time não conseguiu traduzir isso em oportunidades de gol e acabou amargando a derrota em casa.

FICHA DO JOGO

GUARANI 2 x 3 FIGUEIRENSE


Oliveira; Kevin, Éverton Alemão, Edson Silva e Pará; Willian Oliveira (Guilherme – 30’/2º) e Ricardinho; Matheus Oliveira (Marcão – 34’/2º), Rafael Longuine e Denner (Rondinelly – 13’/2º); Bruno Mendes. Técnico: Umberto Louzer.


Denis; Diego Renan, Nogueira, Cleberson e Trevisan; Zé Antônio; Matheus Sales, Patrick (Maikon Leite – 37’/2º), Renan Mota e Ferrareis (Eduardo – 39’/2º); Henan (André Luís – 35’/2º). Técnico: Milton Cruz.

Gols: Trevisan, aos 7, Rafael Longuine, aos 21, Ferrareis aos 29 e Matheus Oliveira, aos 42 minutos do primeiro tempo; Henan, aos 12 minutos do segundo tempo.
Público:
3.824 pagantes.
Renda:
R$ 47.528,00.
Local:
Estádio Brinco de Ouro.
Data e horário: Terça-feira, 17 de julho, às 21h30.
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL).
Cartões amarelos: Matheus Oliveira e Rondinelly (Guarani); Matheus Sales e Renan Mota (Figueirense)

Comentários

comentários