Conecte-se conosco

14ª RODADA – Portuguesa 2 x 1 Guarani

Após seis partidas de invencibilidade, o Guarani voltou a sentir o gosto amargo da derrota. Na noite desta quarta-feira, o Bugre nem de perto lembrou o time de partidas recentes e, com uma atuação muito ruim, foi derrotado pela ameaçada Portuguesa por 2 a 1, no Estádio do Canindé, pela penúltima rodada da Série A2 do Campeonato Paulista. Pereira e Fernandinho marcaram para a Lusa, que afastou de vez o risco de rebaixamento, enquanto Erik anotou o único gol do Alviverde.

O primeiro tropeço após quatro vitórias consecutivas fora de casa deixa o Guarani com 28 pontos e ainda na liderança graças ao resultado do São Bernardo contra a Inter de Limeira, mas a primeira posição não está garantida e a definição ficou para a última rodada da fase de classificação, no sábado, quando a equipe enfrenta o Votuporanguense, às 15h, no Brinco de Ouro.

PRIMEIRO TEMPO
O Guarani teve força máxima, mas optou por uma estratégia diferente no primeiro tempo. O time vertical, com um ataque rápido e que imprime o ritmo do jogo, como aconteceu em rodadas anteriores, deu lugar a uma equipe mais precavida, esperando o adversário que, em termos de tabela, tinha muito mais a necessidade de buscar o resultado. Essa postura reativa fez com que o confronto fosse equilibrado. Com um minuto, a Portuguesa chegou em finalização de Cesinha, que Bruno Brígido foi buscar. Rondinelly respondeu de fora da área e mandou à direita.

Com o passar do tempo, o Bugre foi percebendo que propor jogo não era a praia dos donos da casa e tentou, ainda que timidamente, começar a tomar conta da partida. O que atrapalhou foi a jornada coletivamente pouco inspirada do quarteto de frente na etapa inicial, que proporcionou poucas oportunidades de real perigo.

Quem teve chance foi a Portuguesa, e ela foi fatal, aos 27. Após jogada construída pelo lado esquerdo da defesa bugrina, em cima do lateral Salomão, que atuou no lugar do suspenso Marcílio, Pereira recebeu nas imediações da grande área, dominou e finalizou no cantinho direito de Bruno Brígido para abrir o placar.

O gol forçou o Alviverde a tomar mais a iniciativa e, se em conjunto as coisas não estavam funcionando muito bem, o talento individual resolveu. Bruno Nazário quase empatou aos 35, mas o chute desviou e passou muito perto da trave. Cinco minutos depois, Erik não perdoou. O atacante recebeu cruzamento, dominou, tirou da marcação e, com categoria, mandou no cantinho esquerdo do goleiro para deixar tudo igual no Canindé.

Antes do intervalo, ainda deu tempo do Guarani tomar dois sustos. O meia Pereira deu trabalho em cobranças de falta, aos 44 e aos 47. Na primeira, frontal, a bola parou na trave esquerda. Depois, pelo lado esquerdo, o camisa 10 lusitano tentou surpreender Bruno Brígido, mas o goleiro conseguiu evitar o gol com um tapa.

SEGUNDO TEMPO
A volta para o segundo tempo também não foi nada promissora para o Guarani. Na verdade, o jogo em si ficou insosso, com praticamente nenhuma emoção. Com muitas dificuldades para sair do campo de defesa e lento na transição, o Bugre viu a Portuguesa ocupar o campo de ataque e encontrar os espaços, mas sem conseguir ameaçar com mais contundência a meta dos visitantes.

O técnico Umberto Louzer optou pela entrada de Denner no lugar de Ricardinho para repetir a formação que funcionou no jogo passado, mas, desta vez, o volante não esteve inspirado, assim como todo o time, que fez uma de suas piores atuações no campeonato, sobretudo na parte ofensiva. E a Portuguesa, apesar de todas as suas limitações, soube desfrutar disso para marcar o segundo, aos 26. Em cobrança de falta, Fernandinho encheu o pé, a bola passou por baixo da barreira bugrina e Bruno Brígido nada pode fazer: 2 a 1.

Depois do gol sofrido, e com Pedro Bortoluzo e Fumagalli nos lugares de Bruno Mendes e Rondinelly, respectivamente, o Guarani tentou fazer pressão para evitar a derrota. Totalmente satisfeita com o resultado, a Portuguesa se fechou, tentou travar o jogo e cumpriu o objetivo com êxito. As mudanças no Bugre não surtiram efeito, faltou tranquilidade e, acima de tudo, bola para o time, que não chegou sequer a ficar perto de conseguir o empate.

FICHA DO JOGO

PORTUGUESA 2 x 1 GUARANI


João Lopes; Carlinhos, Gabriel Santos, Marcos Vinícius e César; Jonatas Paulista, Vinícius Martins, Vinícius Barba e Pereira (Vilares, 44/2º); Raul (Fernandinho, 21/2º) e Cesinha |(Franklin, 49/2º). Técnico: Allan Aal.

Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Fernando Lombardi e Salomão; Baraka e Ricardinho (Denner, 18/2º); Bruno Nazário, Rondinelly (Fumagalli, 30/2º) e Erik; Bruno Mendes (Pedro Bortoluzo, 27/2º). Técnico: Umberto Louzer.

Gols: Pereira, aos 27 e Erik, aos 40 minutos do primeiro tempo; Fernandinho, aos 26 minutos do segundo tempo.
Público: 912 pessoas.
Renda: R$ 12.410,00.
Local: Estádio do Canindé, em São Paulo.
Data e horário: Quarta-feira, 21 de março, às 19h30.
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.
Cartões amarelos: Carlinhos, Fernandinho e Cesinha (Portuguesa); Salomão (Guarani)

Comentários

comentários