Conecte-se conosco

11ª RODADA – Inter de Limeira 1 x 2 Guarani

A Inter de Limeira não perdia em seu estádio há mais de nove meses. Pois o Guarani tratou de acabar com essa invencibilidade. Não foi com grande atuação, é verdade, mas o Bugre foi cirúrgico para conquistar sua terceira vitória seguida fora de casa na Série A2 ao fazer 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Major José Levy Sobrinho, em Limeira, pela décima primeira rodada. Erik e Bruno Mendes marcaram para o Alviverde e Tom, de pênalti, fez o do Leão.

Com o resultado, o Guarani recupera a folga dentro do G4. Vice-líder, com 22 pontos, a equipe tem três a mais do que o Penapolense, quinto colocado, mas com duas vitórias a mais. No domingo, o Bugre tem nova chance de mostrar sua força como visitante no jogo contra o Juventus, na Rua Javari, às 10h.

PRIMEIRO TEMPO
O técnico Umberto Louzer confirmou a mudança que era esperada na zaga e optou por Philipe Maia no lugar de Lucas Kal. Debaixo de muita chuva, o jogo começou equilibrado. Apesar do gramado um pouco pesado, o Guarani não abriu mão de sua característica de velocidade e movimentação no ataque. Aos 3, Erik foi lançado por Marcílio, passou pela marcação e rolou para Bruno Nazário chutar por cima. Cinco minutos depois, Bruno Mendes recebeu lançamento nas costas da defesa, mas errou na finalização.

Com dificuldades para ditar o ritmo da partida, a Inter incomodava usando os lados do campo. Em bola que veio da esquerda, aos 17, Tom ajeitou para a chegada de Moisés e o meia bateu de primeira para defesa de Bruno Brígido. Na sequência, o cruzamento achou Eder Paulista, que concluiu por cima.

O lado esquerdo, nas costas de Vinícius Pedalada, apareceu como o principal caminho para as investidas bugrinas. Depois de boa jogada, Erik invadiu a área e teve a chance, mas parou em Rafael Pin. Aos 24, a estratégia funcionou. Erik escapou mais uma vez em velocidade, tabelou com Bruno Nazário e saiu na cara do goleiro, tendo o trabalho só de tocar a bola, que foi mansinha morrer no fundo da rede: 1 a 0.

Depois do gol, o Guarani baixou mais as linhas para aproveitar os contra-ataques e os donos da casa tentaram o abafa. A Inter esboçou uma leve pressão, mas conseguiu o empate de outra maneira, que foi aproveitando outro vacilo da retaguarda bugrina. Em lançamento longo, o zagueiro Fernando Lombardi foi ingênuo e derrubou Eder Paulista na área. O árbitro marcou pênalti e Tom converteu para deixar tudo igual, aos 38′. Ainda deu tempo de mais um susto. Zé Mateus arriscou de canhota de fora da área, mas Bruno Brígido segurou.

SEGUNDO TEMPO
As equipes voltaram do intervalo com um ritmo bem menos intenso e, consequentemente, o ritmo do jogo caiu. A proposta do Guarani continuava a mesma, com Erik sendo o mais acionado e o mais perigoso do time. Aos 6, o atacante recebeu de Bruno Nazário, invadiu a área e bateu cruzado, mas errou o alvo.

O camisa 8 bugrino teve chance de ouro aos 12. Em jogada bem trabalhada, Rondinelly levantou na área, a sobra ficou com Ricardinho e ele serviu Erik, que saiu na cara do gol, mas parou em Moisés Nunes, goleiro que havia entrado minutos antes no lugar de Rafael Pin, que saiu lesionado.

A diferença técnica entre os times era evidente, mas o Guarani não conseguia colocar isso em prática. Por vezes ansiosos, os jogadores se precipitavam no último passe ou demoravam na tomada de decisão e facilitavam a vida adversária. O técnico Umberto Louzer mexeu na equipe e promoveu as entradas de Denner e Serafim nos lugares de Rondinelly e Erik, respectivamente, para ganhar mais gás no setor ofensivo.

Em dado momento, as substituições pareciam não ter surtido efeito, mas, aos 38, apareceu o artilheiro, que pouco havia participado da partida até então, para decidir. Após cobrança de escanteio de Denner, Marcílio desviou e Bruno Mendes apareceu para arrematar de primeira, fazer o segundo do Guarani e o sétimo dele no campeonato.

O gol bugrino acabou com a confiança da Inter. Sem pernas, o time da casa não conseguiu encontrar forças para buscar o empate, nem com os cinco minutos de acréscimos dados pelo árbitro. Ao Guarani, bastou se posicionar bem no campo de defesa e administrar o resultado, fundamental na busca do time pela classificação à próxima fase.

FICHA DO JOGO

INTER DE LIMEIRA 1 x 2 GUARANI

Rafael Pin (Moisés Nunes, 9/2º); Vinícius Pedalada, Lucas Balardim, Nikão e Malcoon; Marquinhos, Teco (Ricardinho, 31/2º) e Moisés (Wesley, 39/2º); Zé Mateus, Eder Paulista e Tom. Técnico: João Vallim.

Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Fernando Lombardi e Marcílio; Baraka e Ricardinho; Bruno Nazário, Rondinelly (Denner, 25/2º) e Erik (Serafim, 36/2º); Bruno Mendes (Pedro Bortoluzo, 41/2º). Técnico: Umberto Louzer.

Gols: Erik, aos 24 minutos e Tom (pênalti), aos 38 minutos do primeiro tempo; Bruno Mendes, aos 38 minutos do segundo tempo.
Público: 2.369
Renda: R$ 49.885,00.
Local: Estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira.
Data e horário: Quarta-feira, 7 de março, às 20h.
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho.
Cartões amarelos: Bruno Mendes, Ricardinho (Guarani); Teco (Inter de Limeira).

Comentários

comentários