Conecte-se conosco

10ª RODADA – Guarani 1 x 1 Vila Nova

A segunda vitória consecutiva na Série B do Brasileiro estava na mão do Guarani, mas faltou tranquilidade para matar o jogo e calma para administrar o resultado. O pesadelo dos acréscimos deu as caras de novo e, com um gol sofrido aos 50 minutos do segundo tempo, o Bugre acabou cedendo o empate e ficou no 1 a 1 com o Vila Nova, na tarde deste sábado, no Estádio Brinco de Ouro, em partida válida pela 10ª rodada. Ricardinho abriu o placar com um golaço e Alex Henrique, de pênalti, deixou tudo igual.

Com o resultado, o Alviverde vai a 14 pontos e desperdiça uma oportunidade valiosa de colar no G4 – ficaria a um ponto do quarto colocado em caso de vitória. Na quinta-feira, a equipe tem novo compromisso em casa. Será diante do invicto São Bento, às 21h.

PRIMEIRO TEMPO
O Guarani foi a campo com a mesma formação que enfrentou o CSA e teve um primeiro tempo pobre ofensivamente como havia tido em Maceió. A presença de Denner pelo corredor esquerdo, formando uma linha de três meias com Guilherme e Rafael Longuine, manteve o time lento e absolutamente previsível.

No início, o Bugre foi surpreendido pelo comportamento do Vila Nova, que fez marcação pressão, principalmente em cima dos dois zagueiros. Isso dificultou a saída de bola e permitiu oportunidades aos visitantes. Bola perdida por Philipe Maia originou uma falta batida por Alan Mineiro, aos 5′, que exigiu defesa de Bruno Brígido. Na sequência, Wesley Matos quase conseguiu concluir cruzamento e abrir o placar.

Com Guilherme e Denner apagados e Rafael Longuine sendo o jogador que mais aparecia para buscar jogo, os donos da casa praticamente monopolizaram os avanços pelo lado direito, também com o apoio de Lenon e Ricardinho. O problema é que a equipe tinha bastante posse de bola (quase 60% no primeiro tempo), mas fruto de passes curtos e nas intermediárias. A falta de velocidade e movimentação para achar espaços facilitava o trabalho da marcação adversária.

O Guarani só foi arrancar alguns aplausos do torcedor aos 41 minutos. Após cruzamento feito por Rafael Longuine, a defesa do Vila Nova afastou mal e a sobrou para Guilherme. O meia bateu firme e mandou à direita, com perigo, mas única oportunidade real do primeiro tempo, que terminou com vaias por conta da pobreza técnica apresentada.

SEGUNDO TEMPO
Com Caíque no lugar de Denner, o Guarani voltou do intervalo mais agressivo e com disposição. As peças de ataque se movimentaram mais, o time deu opções também pela esquerda e exerceu pressão nos primeiros minutos. Em erro na saída de bola da defesa do Vila, aos 4′, Bruno Mendes invadiu a área, bateu cruzado e parou na defesa de Mateus Pasinato.

Mais animado no segundo tempo, o jogo ficou aberto, já que o Bugre começou a se expor e os goianos tiveram espaço para o contra-ataque. Umberto Louzer reforçou ainda mais o seu ataque com a entrada de Anselmo Ramon. Foi ele, em jogada combinada com Rafael Longuine, que deu belo cruzamento para cabeçada do meia, aos 21′, mas Mateus Pasinato se esticou todo no canto direito para evitar o gol.

Aos 25′, um susto enorme. Pará vacilou feio, perdeu a bola no campo de defesa e Felipe Silva apareceu livre na área. O atacante tentou se livrar de Bruno Brígido, rolou para trás e Mateus Anderson bateu para ótima defesa do goleiro bugrino.

O jogo começava a se desenhar cada vez mais difícil para o Guarani, até que alguém resolveu aparecer para descomplicar, aos 31′. Lenon fez o cruzamento e a zaga afastou. A bola caiu nos pés de Ricardinho e, como tinha feito na vitória sobre o CRB, o volante tirou da cartola um chute espetacular de fora da área, de primeira, para encobrir o goleiro e marcar um golaço.

A abertura do placar tirou a pressão dos donos da casa e jogou toda a responsabilidade para o outro lado. O Bugre se retraiu e esperou o adversário, que se lançou completamente à frente. O final foi dramático, com os goianos partindo para  o abafa. O árbitro deu cinco minutos de acréscimo e o Guarani, muito recuado, não segurou o resultado. Aos 50′, no último lance, Caíque cometeu pênalti bastante contestado. Alex Henrique cobrou com categoria, converteu e jogou um balde de água fria em todo o Brinco de Ouro.

FICHA DO JOGO

GUARANI 1 x 1 VILA NOVA


Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Edson Silva e Pará; Baraka, Ricardinho e Denner (Caíque, intervalo); Rafael Longuine (Willian Oliveira, 39’/2º) e Guilherme (Anselmo Ramon, 15’/2º); Bruno Mendes. Técnico: Umberto Louzer.


Mateus Pasinato; Maguinho, Wesley Matos, Diego Giaretta e Hélder; Geovane e Wellington Reis (Ramon, 37’/2º); Mateus Anderson, Alan Mineiro (Alex Henrique, 22’/2º) e Vinícius Leite (Juninho, 23’/1º); Felipe Silva. Técnico: Hemerson Maria.

Gols: Ricardinho, aos 31 minutos e Alex Henrique (pênalti), aos 50 minutos do segundo tempo.
Público: 3.521 pessoas.
Renda: R$ 44.637,00.
Local: Estádio Brinco de Ouro.
Data e horário: Sábado, 9 de junho, às 16h30.
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ).
Cartões amarelos: Ricardinho, Anselmo Ramon, Caíque (Guarani);Felipe Silva (Vila Nova)

Comentários

comentários