Conecte-se conosco

7ª RODADA – Guarani 0 x 1 XV de Piracicaba

O Guarani criou bastante, colocou bola no travessão e fez do goleiro adversário o melhor jogador em campo. Tudo isso no primeiro tempo. Mas a bola teimou em não entrar e bastou um vacilo defensivo aos 45 segundos da etapa complementar para o Bugre ser derrotado pelo XV de Piracicaba por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Brinco de Ouro, pela sétima rodada da Série A2 do Campeonato Paulista.

O resultado acabou com a invencibilidade da equipe alviverde em casa no torneio e também pôs fim ao jejum de quase 62 anos – 39 partidas – sem derrota para o Nhô Quim em Campinas. Apesar disso tudo, o time segue na zona de classificação. No quarto lugar, com 12 pontos, o Guarani tem a chance de se reabilitar no sábado, às 17h, em compromisso com o Taubaté, outra vez no Brinco.

PRIMEIRO TEMPO
O Guarani enfrentou um adversário que não prima pela qualidade técnica, mas tem aquele que se costuma chamar de espírito da divisão. Experiente, o XV soube levar o jogo na manha em momentos cruciais e atrapalhou os planos bugrinos. Tanto é que o início de jogo foi complicado, com os visitantes sabendo neutralizar a tentativa de imposição alviverde e explorando os espaços no lado direito, em cima de Lenon e Lucas Kal.

Quando fez uma leitura melhor da partida e colocou a bola no chão, naturalmente o Guarani se impôs e criou suas oportunidades de gol, que foram inúmeras. Aos 10′, Bruno Mendes recebeu de Lenon, emendou a bicicleta e Samuel defendeu. Depois, em saída errada do goleiro quinzista, Bruno Nazário achou Bruno Mendes, mas o chute saiu mascado. O camisa 9 também tentou de longe, em uma pancada que passou perto.

O domínio era construído principalmente pelo lado direito, mas na base da bola parada a equipe também assustou. Rondinelly cobrou falta na primeira trave, aos 26′, Ricardinho desviou de cabeça e Samuel Pires salvou. A dupla bugrina apareceu novamente aos 34′. De novo em falta levantada na área por Rondinelly, Ricardinho apareceu, cabeceou e dessa vez foi detido pelo travessão. Por falta de capricho e sorte a partida foi para o intervalo com o placar em branco.

SEGUNDO TEMPO
A expectativa era que o Guarani armasse uma nova blitz no segundo tempo. Ledo engano. Em 45 segundos, o gol saiu, mas do lado de quem praticamente ainda não tinha atacado. Depois de cruzamento que veio da esquerda, Marcílio falhou ao tentar tirar a bola e a sobra ficou limpa para Jobinho encher o pé no canto esquerdo de Bruno Brígido e fazer 1 a 0.

O Bugre sentiu o baque de estar pela primeira vez em desvantagem jogando em casa. Umberto Louzer mexer pela primeira vez logo aos 6′, ao apostar em Gabriel Leite no lugar de Rondinelly. A proposta era ganhar em velocidade, mas o meia não entrou na intensidade que o jogo pedia. A pressão que se esperava não aconteceu e as oportunidades, dessa vez, foram isoladas. Em falta cobrada por Bruno Nazário, aos 16′, Bruno Mendes cabeceou fora. Em contra-ataque que começou com Marcílio e passou por Bruno Nazário, aos 23′, o camisa 9 teve outra chance, mas parou no goleiro Samuel.

Louzer voltou a dar novo gás ao ataque. Acionou Elias na vaga de Erik e depois abriu de vez o time ao mandar a campo Fumagalli no lugar de Ricardinho. O meia, que completou 300 jogos ao entrar na partida, teve uma chance de falta em sua primeira participação, mas parou na barreira. Fato é que as mexidas não surtiram o efeito desejado. Por outro lado, o XV amarrou o jogo com cera, catimba e enervou demais o Guarani, que ainda teve chance derradeira aos 44′, mas Elias errou em lance que comprovou que a noite não era alviverde.

 

FICHA DO JOGO

GUARANI 0 x 1 XV DE PIRACICABA

GUARANI

Bruno Brígido; Lenon, Lucas Kal, Fernando Lombardi e Marcílio; Baraka e Ricardinho (Fumagalli, 31/2º); Bruno Nazário, Rondinelly (Gabriel Leite, 6/2º) e Erik (Elias, 25/2º); Bruno Mendes. Técnico: Umberto Louzer.

XV DE PIRACICABA

Samuel Pires; Oziel, Marcondes, Jean Pablo e Pedrinho; Guly e Bruno Formigoni (André Cunha, 35/2º); Jobinho (Bruninho, 38/2º), Fraga e Fabinho (Norton, 27/2º); Everton. Técnico: Evaristo Piza.Gol: Jobinho, aos 45 segundos do segundo tempo.

Público: 4.439 pessoas.

Renda: R$ 61.591,00.

Local: Estádio Brinco de Ouro.

Data e horário: 14 de fevereiro (quarta-feira), às 20h.

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto.

Cartões amarelos: Marcílio; Marcondes, Oziel, Fraga e Bruno Formigoni (XV).

Comentários

comentários