Conecte-se conosco

Notícias

Guarani negocia trio formado na base com o Mirassol

Bugre mantém direitos de Elias, Luan e Matheus Gomes e espera lucro com transferência futura

Luan, Elias e Matheus Gomes já treinam no Mirassol: diretoria bugrina diz que compensação financeira é suficiente para pagar três meses de salários (Foto:Vinicius de Paula/Agência Mirassol FC)

As saídas de jogadores do elenco do Guarani não se limitaram apenas aos destaques da equipe. Três atletas formados no clube e que estavam integrados aos profissionais darão prosseguimento de suas carreiras longe do Brinco de Ouro. Os volantes Luan e Matheus Gomes e o atacante Elias foram negociados com o Mirassol e assinaram contrato de cinco anos com o Leão da Araraquense.

O trio tem como representante o empresário Nenê Zini, que possui outros jogadores no plantel bugrino. Em contato com a reportagem do Nossa Taba, o executivo de futebol Luciano Dias explicou os motivos que levaram o Guarani a aceitar negociar os atletas. “Foi uma questão de oportunidade de negócio. Eram meninos com pouco espaço aqui, o Guarani continua com um percentual dos direitos econômicos e o aporte que vai entrar vai nos ajudar também no pagamento dos salários dos próximos três meses. Era uma oportunidade importante para o Guarani”, disse o dirigente.

O presidente Palmeron Mendes Filho não confirmou valores da transação e nem qual a porcentagem que ainda cabe ao Bugre, mas também confirmou que o valor recebido será oportuno para pagamento de salários e premiações nos próximos meses. Além disso, há a expectativa de uma transferência futura e que renda dividendos para o clube.

Elias, de 19 anos, é quem mais recebeu oportunidades na equipe profissional. O atacante foi promovido no ano passado e atuou algumas vezes com o técnico Lisca na reta final da Série B. Na atual temporada, esteve em campo em cinco partidas da Série A2, sempre saindo do banco, mas não marcou nenhum gol.

O volante Luan era considerado um dos mais promissores jogadores da atual safra bugrina. Destaque da equipe sub-20, figurou no banco de reservas em algumas partidas do Paulista, mas era preparado para receber mais chances durante o Brasileiro. O jogador, porém, só atuou uma vez profissionalmente com a camisa bugrina – ao entrar aos 32 minutos do segundo tempo na derrota para o Fortaleza.

Matheus Gomes também foi integrado para participar dos treinamentos ao lado dos profissionais, mas foi o único que não esteve em campo. Sem oportunidades com o técnico Umberto Louzer, os três vinham se revezando entre as atividades com o time de cima e partidas pelo sub-20, que disputa o Campeonato Paulista da categoria.

Comentários

comentários

Mais em Notícias