Conecte-se conosco

Estatísticas

Gols no fim e falta de regularidade travam o Guarani na Série B

Bugre já deixou cinco pontos pelo caminho nos acréscimos e ainda não venceu duas seguidas

Empate com o Vila Nova escancarou as duas dificuldades que atormentam o Guarani na Série B: a de não segurar resultados até o fim e de não embalar vitórias em sequência (Foto: Luciano Claudino/Código 19)

O Guarani não terminaria o final de semana dentro do G4 da Série B do Brasileiro, mas poderia estar colado no quarto colocado e ter entrado de vez na briga pelo pelotão de frente. Não conseguiu porque empatou em 1 a 1 com o Vila Nova, no Brinco de Ouro, em jogo que voltou a apresentar duas características negativas que acompanham esse time: a sina de sofrer gols no fim e a falta de regularidade.

Pela terceira vez em apenas dez rodadas, o Bugre deixou pontos pelo caminho ao ser vazado nos acréscimos da partida. Havia sido assim na derrota para o Fortaleza, no empate com o Goiás e se repetiu no sábado. Por mais que se conteste a marcação do pênalti aos 50 minutos do segundo tempo, o recuo excessivo contribuiu para que o time não segurasse a vantagem. Já são cinco pontos desperdiçados, que hoje colocariam o time na vice-liderança, ao lado do CSA.

“Nos preocupa. Temos cobrado isso e incomoda a todos nós. No futebol, é preciso manter o nível de concentração o tempo inteiro. Temos conversado e vamos buscar corrigir para estancar o quanto antes e não sermos mais penalizados com a quantidade que pontos que temos perdido”, diz o técnico Umberto Louzer.

Um outro fator que trava a campanha do Alviverde é a falta de regularidade. Num campeonato longo, como a Série B, essa característica é fundamental para quem pensa grande. Para o Guarani, porém, não tem dado certo. Sempre que existe a chance de o time embalar, vem um tropeço duro na sequência. Até o momento, o Bugre ainda não venceu duas partidas consecutivas.

Foi assim quando o time derrotou o Sampaio Corrêa, mas depois perdeu para o Atlético-GO, também depois que bateu o Criciúma, mas acabou empatando com o Goiás. Mais uma vez aconteceu quando, depois do triunfo sobre o CRB, a equipe não conseguiu superar o Juventude e se repetiu no sábado. Após a primeira vitória fora de casa, sobre o CSA, a expectativa era grande por mais dois resultados positivos no Brinco, mas a equipe já falhou no primeiro desses compromissos.

“Sempre que vencemos uma partida, procuramos ajustar. É uma insistência no nosso dia a dia de trabalho. As oscilações nos preocupam, mas temos que continuar convictos no nosso trabalho. A oscilação é ruim para todo mundo, mas vamos procurar melhorar para crescer na tabela”, projeta o treinador bugrino.

Distante três pontos do G4 e na nona posição na tabela, o Guarani vai ter que recomeçar a construção de uma nova sequência na próxima partida, que acontece quinta-feira, contra o São Bento, outra vez no Brinco. Trata-se de um novo confronto direto, afinal o adversário aparece na sexta posição, com dois pontos a mais.

Comentários

comentários

Mais em Estatísticas