Conecte-se conosco

Notícias

Guarani quer usar lições para ser mais ‘cascudo’ fora de casa

Após duas derrotas como visitante, Bugre quer aplicar o que aprendeu contra o Goiás

O zagueiro Philipe Maia acha que o time precisa ter mais preocupações defensivas, afinal o ataque tem correspondido e dificilmente passa em branco (Foto: Letícia Martins/Guarani Press)

Em duas partidas fora de casa na Série B do Brasileiro, o Guarani colecionou altos e baixos, mas em ambas saiu de campo com uma derrota. Se os resultados não foram os esperados, os jogos contra Fortaleza e Atlético-GO deixaram lições, que a equipe espera ter aprendido para ser mais ‘cascuda’ e aplicar na partida de sexta-feira, contra o Goiás.

A postura defensiva tem tudo a ver com essa situação. Assim como o goleiro Bruno Brígido já havia comentado sobre uma mudança de característica, o zagueiro Philipe Maia também abordou o tema e ressaltou que, em alguns casos, a preocupação em não sofrer gols precisa se sobrepor a ânsia de marcá-los.

“Precisamos nos consolidar como equipe. Contra o Fortaleza fizemos um jogo equilibrado, mas levamos gol no fim. O do Atlético foi mais difícil. Saímos atrás e tentamos reagir. É usar de lição o que aconteceu. Erros que cometemos e não podemos cometer. A equipe vem mais cascuda pra esse jogo fora de casa”, analisa o defensor. “É mais o nosso modo de entrar em campo. Vejo que o Guarani precisa entrar como um bom defensor, as linhas montadas e saber jogar a Série B. Fora de casa, não levar gol é essencial para sair com o resultado positivo”.

Para Maia,a preocupação é maior com a questão defensiva porque o ataque tem totais condições de corresponder, afinal, após cinco rodadas, o Guarani marcou a mesma quantidade de gols que sofreu (oito). Como o 0 a 0 não faz parte da rotina do time, não ser vazado é mais que meio caminho andado para uma vitória.

“Temos um poderio ofensivo muito grande e precisamos nos policiar para jogar compacto porque nossa equipe é ofensiva. Dificilmente passamos um jogo sem fazer gol, mas também sofremos alguns. Se conseguir não levar, temos qualidade para fazer e sair com as vitórias”.

O Bugre tem a chance de colocar tudo isso em prática na sexta-feira, contra o Goiás, no Serra Dourada. Na zona do rebaixamento, o adversário vive fase complicada, mas Philipe Maia acredita que, pelo potencial que existe do outro lado, é apenas um momento passageiro. Cabe ao Alviverde, porém, não deixar que a reação comece justamente agora.

“É jogo de equilíbrio. Temos consciência que o Goiás vive fase difícil e é questão de sobrevivência para eles. Trata-se de uma equipe qualificada e com um novo comando. São jogadores de extrema qualidade e a situação não condiz com a tabela. Mas nossa equipe vem numa crescente e vamos tentar aproveitar esse momento. Se for pra eles reagirem, que não seja contra a gente”, finaliza o zagueiro.

Comentários

comentários

Mais em Notícias