Conecte-se conosco

Curumins

Técnico do sub-20 usa frase de Muricy ao lamentar empate: ‘A bola pune’

Márcio Zanardi diz que falta de eficiência nas conclusões penalizou o Guarani contra a Portuguesa

Márcio Zanardi (à esq.) lembra que ainda é início de trabalho e projeta evolução do time durante a campanha (Foto: Letícia Martins/Guarani Press)

O tricampeão brasileiro e hoje comentarista Muricy Ramalho serviu de exemplo para o técnico Márcio Zanardi explicar o empate da equipe sub-20 do Guarani por 1 a 1 com a Portuguesa, sexta-feira, em Valinhos, pelo Campeonato Paulista da categoria. O Bugrinho criou várias chances, abriu o placar, mas no final acabou cedendo o empate.

“Tomar o gol faltando um minuto para terminar é muito ruim. A gente fala no futebol que a bola pune, tem que fazer o gol. Não adianta 11 finalizações e não transformar em gol. Aí dá oportunidade ao adversário. É início de trabalho, descemos alguns atletas do profissional que está sem ritmo, mas isso é formação. Tem que mostrar os erros e buscar a vitória contra o Juventus”, disse o treinador.

Quando vencia por 1 a 0 e tinha o jogo administrado, o time ficou com um a menos em campo após a expulsão do zagueiro Pedro, que levou o segundo cartão amarelo por retardar o início da partida. Segundo Zanardi, a desvantagem numérica teve peso justamente porque a Portuguesa achou o gol no espaço que o bugrino vinha ocupando.

“Perdemos um jogador importante e a bola que eles acharam de espaço foi bem onde o Pedro estava. Até mudamos depois da expulsão, mas o jogo estava a mil por hora e quem entra está um pouco pra menos”, avaliou o comandante. “Mas eles precisam entender tomar um gol desse, um empate com sabor de derrota. Agora é levantar a cabeça. O importante é que o Guarani está voltando a propor jogo, formando jogadores”, acrescentou.

No sub-20, o Bugrinho ocupa atualmente a terceira posição de sua chave, que é liderada por Corinthians e São Paulo. Para Zanardi, que chegou recentemente ao clube, esse início de trabalho ainda demanda muita coisa para melhorar, mas existe otimismo de que o time consiga garantir sem sustos a classificação à próxima fase – os quatro melhores do grupo avançam – e depois projetar algo mais.

“Nosso trabalho é mudar o comportamento dos atletas, fazer com que eles sejam mais agudos, finalizem com mais responsabilidade. Nosso grupo é difícil. Fizemos um baita jogo contra o São Paulo, depois ainda tem o Corinthians. A gente sempre fala que futebol é merecimento. Estamos mudando o comportamento para na hora certa merecer. Buscamos não só a classificação, mas chegar longe com esse trabalho”, finaliza o técnico bugrino.

Comentários

comentários

Mais em Curumins